Relaxamento Guiado como Prática Integrativa para Mulheres Submetidas à Radioterapia

Autores

  • Lais Reis Siqueira Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas (MG), Brasil.
  • Sterline Therrier Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas (MG), Brasil.
  • Kamilla Maestá Agostinho Universidade de São Paulo (USP). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Ribeirão Preto (SP), Brasil.
  • Edison Vitório de Souza Júnior Universidade de São Paulo (USP). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Ribeirão Preto (SP), Brasil.
  • Zélia Marilda Rodrigues Resck Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas (MG), Brasil.
  • Namie Okino Sawada Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas (MG), Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n1.1326

Palavras-chave:

neoplasias da mama/radioterapia, qualidade de vida, terapia de relaxamento, terapias complementares

Resumo

Introdução: O câncer de mama ocupa uma das primeiras posições das neoplasias malignas em mulheres. Entre os tipos de tratamento, está a radioterapia que, apesar de ser um método seguro, traz diversos efeitos colaterais que prejudicam a qualidade de vida relacionada à saúde. Objetivo: Avaliar o efeito da prática integrativa e complementar de relaxamento com visualização guiada na melhora da qualidade de vida relacionada à saúde de mulheres com câncer de mama submetidas à radioterapia. Método: Pesquisa quantitativa, quase-experimental, do tipo pré e pós-teste, realizada com 25 mulheres com câncer de mama submetidas à radioterapia em um Centro de Oncologia do Sul de Minas Gerais, entre julho de 2019 a março de 2020. Foram coletados dados sobre aspectos sociodemográficos e clínicos, e utilizado o instrumento Quality of Life Questionnaire-Core 30 da European Organization for Research and Treatment of Cancer (EORTC QLQ-C30) para avaliação da qualidade de vida, aplicado em três momentos do tratamento. As seções de relaxamento foram aplicadas três vezes na semana durante todo o tratamento radioterápico. Resultados: A maioria das pacientes se encontrava na faixa etária de 41-60 anos, com nível médio de escolaridade, aposentadas, católicas, brancas, casadas e em estadiamento IIA. Os escores relacionados às escalas funcionais apresentaram melhora ao longo do tratamento. Para a escala de sintomas, os prevalentes foram insônia, constipação e fadiga. Conclusão: A prática de relaxamento foi eficaz na melhora dos domínios da qualidade de vida relacionada à saúde, sendo uma prática de baixo custo que pode ser aplicada por profissionais treinados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

1.
Siqueira LR, Therrier S, Agostinho KM, Souza Júnior EV de, Resck ZMR, Sawada NO. Relaxamento Guiado como Prática Integrativa para Mulheres Submetidas à Radioterapia. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 22º de dezembro de 2021 [citado 22º de janeiro de 2022];68(1):e-031326. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/1326

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL