Ações de Detecção Precoce do Câncer de Mama no Brasil: Análise dos Dados do Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama (Sismama), 2009-2015

Autores

  • Maurício Cavalcanti de Andrade Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. Belo Horizonte (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4217-010X
  • Adalgisa Peixoto Ribeiro Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Medicina. Belo Horizonte (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9415-8068
  • Katharina Lanza Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Medicina. Belo Horizonte (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7488-6906
  • Lucas Martins de Lima Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Belo Horizonte (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8581-7690
  • Graziella Lage Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Medicina. Belo Horizonte (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3387-3583

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n3.2189

Palavras-chave:

neoplasias da mama, detecção precoce de câncer, programas de rastreamento, mamografia, saúde da mulher

Resumo

Introdução: O câncer de mama é o tipo de neoplasia com maior incidência e mortalidade na população feminina no mundo. Observa-se aumento da incidência do câncer de mama e redução da mortalidade associados à detecção precoce. Objetivo: Analisar indicadores de rastreamento de câncer de mama a partir dos registros de mamografias realizadas em mulheres brasileiras, no período de junho de 2009 a julho de 2015. Método: Estudo transversal, utilizando dados secundários do Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama (Sismama), referentes aos registros dos exames de mamografia realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na população feminina entre junho de 2009 e julho de 2015. Foram calculadas as proporções de cada variável para compor os indicadores selecionados por ano. Resultados: Foram analisados 14.926.700 registros de mamografias, sendo 96,8% de rastreamento (MMGr) e 3,2% diagnósticas (MMGd). Pouco mais da metade das MMGr (52,5%) foram realizadas na faixa etária de 50 a 69 anos, seguida pela faixa etária de 40 a 49 anos (35,9%). Observou-se uma tendência de aumento na proporção de MMGr na faixa preconizada (50-69 anos) no período estudado, além de maior proporção de entrega do resultado do exame inferior a 30 dias (tanto para MMGd como MMGr), com diferenças entre as Regiões. Conclusão: O cumprimento das medidas propostas pelo Ministério da Saúde para diagnóstico precoce do câncer de mama não ocorre de maneira uniforme no território nacional. Emerge a necessidade de desenvolver estratégias em saúde que contemplem as inequidades existentes entre as Regiões do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; [data desconhecida]. Câncer: o que é o câncer; [modificado 2020 nov 30; acesso 2018 fev 8]. Disponível em: https://www.gov.br/inca/pt-br/assuntos/cancer/o-que-e-cancer

Ministério da Saúde (BR); Instituto Nacional de Câncer. Controle do câncer de mama: documento de consenso. Rev Bras Cancerol. 2004;50(2):77-90. doi: https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2004v50n2.2039

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2019 [acesso 2021 nov 19]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2015 [acesso 2021 nov 10]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//diretrizes_deteccao_precoce_cancer_mama_brasil.pdf

Andrade MC, Paulucci S, Barroso MH, et al. Acesso à mamografia de rastreamento nas unidades básicas de saúde do distrito sanitário leste do município de Belo Horizonte. Rev Med Minas Gerais. 2016;26(Supl 8):S30-S35.

Bezerra HS, Melo TFV, Barbosa JV, et al. Avaliação do acesso em mamografias no Brasil e indicadores socioeconômicos: um estudo espacial. Rev Gaúcha Enferm. 2018;39:e20180014. doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.20180014

World Health Organization. Cancer control: knowledge into action: WHO guide for effective programmes: module 3: early detection [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2007. Planning Step 3: How do we get there? [cited 2018 feb 22]; p. 28-40. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/n/whocancer3/pdf/

Tomazelli JG, Migowski A, Ribeiro CM, et al. Assessment of actions for breast cancer early detection in Brazil using process indicators: a descriptive study with Sismama data, 2010-2011. Epidemiol Serv Saúde. 2016;26(1):1-10. https://doi.org/10.5123/S1679-49742017000100007

Ministério da Saúde (BR), Gabinete do Ministro. Portaria nº 2.439, de 08 de dezembro de 2005. Institui a Política Nacional de Atenção Oncológica: Promoção, Prevenção, Diagnóstico, Tratamento, Reabilitação e Cuidados Paliativos, a ser implantada em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2005 dez 9; Seção 1:80.

Passman LJ, Farias AMRO, Tomazelli JG, et al. SISMAMA: implementation of an information system for breast cancer early detection programs in Brazil. Breast. 2011;20 Suppl 2:S35-9. doi: https://doi.org/10.1016/j.breast.2011.02.001

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022 [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011 [acesso 2021 nov 19]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

SISCOLO/SISMAMA: Sistema de Informação do Câncer do Colo do Útero e Sistema de Informação do Câncer de Mama. Brasília, DF: DATASUS. c2008 – [acesso 2018 jun 25]. Disponível em: http://w3.datasus.gov.br/siscam/index.php?area=0402

Ministério da Saúde (BR). Plano de ação para o controle dos cânceres do colo do útero e da mama 2005-2007: diretrizes estratégicas [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2005 [acesso 2020 nov 20]. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/oncologia/Cancer_mama_colo_utero.pdf

Instituto Nacional de Câncer. Sistemas de informação do controle do câncer de mama (SISMAMA) e do câncer do colo do útero (SISCOLO): manual gerencial [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2011 [acesso 2018 fev 14]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/manual-gerencial-2011.pdf

Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva. Monitoramento das ações de controle dos cânceres do colo do útero e de mama. Bol Inf Detecção Precoce [Internet]. 2019 [acesso 2020 nov 20];10(2):1-7. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//informativo-deteccao-precoce-numero2-2019.pdf

Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Ficha técnica de indicadores relativos às ações de controle do câncer de mama [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2014 [acesso 2020 nov 20]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/ficha-tecnica-indicadores-mama-2014.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. Política nacional de gestão de tecnologias em saúde [Internet]. Brasília, DF, 2010 [acesso 2018 fev 14]. (Série B. Textos Básicos em Saúde). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_gestao_tecnologias_saude.pdf

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Programa Nacional de Controle de Câncer. Rio de Janeiro: INCA; 2011.

Silva RCF, Hortale VA. Rastreamento do câncer de mama no brasil: quem, como e por quê? Rev Bras Cancerol. 2012;58(1):67-71. doi: https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2012v58n1.1429

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 779, de 31 de dezembro de 2008. Define como sistema de informação oficial do Ministério da Saúde, a ser utilizado para o fornecimento dos dados informatizados dos procedimentos relacionados ao rastreamento e a confirmação diagnóstica do câncer de mama, o Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama (SISMAMA) [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2009 jan 2 [acesso 2020 nov 20]; Seção 1:38. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2008/prt0779_31_12_2008.html

Instituto Nacional de Câncer. Parâmetros técnicos para o rastreamento do câncer de mama: recomendações para gestores estaduais e municipais [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2009 [acesso 2018 fev 14]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/parametros_rastreamento_cancer_mama.pdf

Pinho VFS, Coutinho ESF. Fatores de risco para câncer de mama: uma revisão sistemática de estudos com amostras de mulheres da população geral no Brasil. Cad Saúde Publica. 2005;21(2):351-60. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000200002

Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva. Monitoramento das ações de controle dos cânceres do colo do útero e de mama. Bol Inf Detecção Precoce [Internet]. 2017 [acesso 2018 fev 14];8(1):1-8. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//informativo-deteccaoprecoce-1-2017.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama [Internet]. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [acesso 2018 fev 14]. (Cadernos de Atenção Básica, n. 13). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/controle_canceres_colo_utero_2013.pdf

Holmes ES, Almeida AF, Farias CF, et al. Métodos de detecção do câncer de mama entre profissionais da saúde. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2014 [acesso 2018 fev 14];8(1):37-43. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/9603/9570

Finger BA. Acesso ao tratamento oncológico no SUS: a responsabilidade civil do Estado pela perda da chance de cura ou de sobrevida das pacientes com câncer de mama no Rio Grande do Sul. [dissertação na Internet]. São Leopoldo, RS: Universidade do Vale do Rio dos Sinos; 2017 [acesso 2020 nov 20]. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/6282/Brunize%20Altamiranda%20Finger_.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Rastreamento [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2010 [acesso 2018 mar 10]. (Série A. Normas e Manuais Técnicos; Cadernos de Atenção Primária, n. 29). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_primaria_29_rastreamento.pdf

Tavares HD, Conceição RN, Silva ZSSB. Abordagem dos principais métodos de diagnóstico do câncer de mama: uma revisão de literatura. Rev Cient ITPAC [Internet]. 2011 [acesso 2018 mar 10];4(1):50-7. Disponível em: https://assets.unitpac.com.br/arquivos/Revista/41/6.pdf

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Avaliação de indicadores das ações de detecção precoce dos cânceres do colo do útero e de mama - Brasil e regiões, 2013 [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2015 [acesso 2018 fev 14]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//avaliacao-indicadores-colo-e-mama-2013.pdf

Downloads

Publicado

2022-08-04

Como Citar

1.
Andrade MC de, Ribeiro AP, Lanza K, Lima LM de, Oliveira GL. Ações de Detecção Precoce do Câncer de Mama no Brasil: Análise dos Dados do Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama (Sismama), 2009-2015. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 4º de agosto de 2022 [citado 8º de agosto de 2022];68(3):e-082189. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/2189

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL