Mortalidade por Câncer de Fígado e Vias Biliares no Brasil: Tendências e Projeções até 2030

  • Flávia Arichelle Cavalcante dos Santos Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa). Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal (RN), Brasil.
  • Fábia Cheyenne Gomes de Morais Fernandes Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal (RN), Brasil.
  • Emelynne Gabrielly de Oliveira Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal (RN), Brasil.
  • Nayre Beatriz Martiniano Medeiros Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN). Natal (RN), Brasil.
  • Dyego Leandro Bezerra de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal (RN), Brasil.
  • Isabelle Ribeiro Barbosa Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa). Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal (RN), Brasil.
Palavras-chave: Neoplasias Hepáticas/mortalidade, Neoplasias Hepáticas/epidemiologia, Neoplasias dos Ductos Biliares/mortalidade, Neoplasias dos Ductos Biliares/epidemiologia, Previsões

Resumo

Introdução: A neoplasia de fígado e vias biliares intra-hepáticas é a sétima mais incidente e representa a segunda maior causa de morte por câncer no mundo. Sendo assim, é crucial compreender a epidemiologia dessa doença, no que diz respeito às tendências temporais da mortalidade e da carga que essa doença apresentará no futuro. Objetivo: Analisar a tendência da mortalidade por câncer de fígado e vias biliares no Brasil e calcular as projeções de mortalidade até 2030. Método: Estudo ecológico baseado em óbitos por neoplasia maligna de fígado e vias biliares intra-hepáticas (C22) ocorridos no Brasil no período de 2001 a 2015 e registrados no Sistema de Informação sobre Mortalidade. As tendências de mortalidade foram analisadas pela regressão Joinpoint; para o cálculo das projeções, foi utilizado o programa Nordpred. Resultados: Para o sexo feminino, houve redução das taxas de mortalidade nas Regiões Centro-Oeste, Sudeste e Norte no Brasil; para o sexo masculino, essas Regiões apresentaram tendências de aumento, porém não significativo. As taxas de mortalidade para o sexo feminino apresentarão reduções no futuro, com destaque para as taxas das Regiões Norte e Nordeste, com redução de cerca de 30% até 2030. Para o sexo masculino, haverá acréscimo de 12% nas taxas de mortalidade para a Região Sul. Conclusão: A mortalidade por câncer de fígado e vias biliares no Brasil apresenta tendência de redução para o sexo feminino e estabilidade para o sexo masculino, e essa característica será mantida nas próximas décadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-27
Como Citar
1.
Cavalcante dos Santos FA, Gomes de Morais Fernandes FC, de Oliveira Santos EG, Martiniano Medeiros NB, Bezerra de Souza DL, Ribeiro Barbosa I. Mortalidade por Câncer de Fígado e Vias Biliares no Brasil: Tendências e Projeções até 2030. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 27º de janeiro de 2020 [citado 7º de dezembro de 2021];65(4):e-01435. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/435
Seção
ARTIGO ORIGINAL