Atividade Física e Prevenção de Câncer: Evidências, Reflexões e Apontamentos para o Sistema Único de Saúde

  • Fabio Fortunato Brasil de Carvalho Área Técnica de Alimentação, Nutrição, Atividade Física e Câncer da Coordenação de Prevenção e Vigilância do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Conprev/INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • Thatiana de Jesus Pereira Pinto Área Técnica de Alimentação, Nutrição, Atividade Física e Câncer da Coordenação de Prevenção e Vigilância do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Conprev/INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • Alan Goularte Knuth Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Rio Grande (RS), Brasil.
Palavras-chave: Neoplasias/prevenção & controle, Doença Crônica/prevenção & controle, Políticas Públicas de Saúde, Disparidades nos Níveis de Saúde, Exercício Físico

Resumo

Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis estão entre as principais causas de morbimortalidade no mundo, especialmente o câncer. Para a sua prevenção, a atividade física figura como uma das estratégias. Objetivo: Apresentar e discutir evidências científicas recentes acerca da atividade física para a prevenção de câncer e expor reflexões e apontamentos sobre as complexidades e iniquidades relacionadas à atividade física no Sistema Único de Saúde. Método: Foram selecionadas referências atuais de instituições de vanguarda na pesquisa sobre atividade física, prevenção de câncer e temas correlatos: a) Sumário do III Relatório de Especialistas sobre Alimentação, Nutrição, Atividade Física e Câncer; b) Relatório Científico do Comitê Consultivo das Diretrizes de Atividade Física dos EUA; c) Mesa-redonda do Colégio Americano de Medicina do Esporte. Sua relevância está na reunião de evidências sistematicamente revisadas por uma ampla comunidade científica de especialistas. Resultado: A atividade física é uma importante ação de saúde para a prevenção do câncer, contudo não foi possível identificar a quantidade específica, já que a comparação é entre níveis mais altos versus mais baixos de atividade física. Conclusão: Há fortes evidências para a relação entre atividade física e prevenção de câncer de mama, cólon, endométrio, esôfago, estômago, rim, bexiga, fígado. Para efetivá-las, é necessário reconhecer que a atividade física é relacionada a diferentes determinantes e condicionantes da saúde e que programas públicos no Sistema Único de Saúde têm grande potencial para a ampliação dessa prática pela população.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-23
Como Citar
1.
Carvalho FFB de, Pinto T de JP, Knuth AG. Atividade Física e Prevenção de Câncer: Evidências, Reflexões e Apontamentos para o Sistema Único de Saúde. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 23º de junho de 2020 [citado 5º de agosto de 2021];66(2):e-12886. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/886
Seção
ARTIGO ORIGINAL