Avaliação da Qualidade de Vida de Pacientes Oncológicos em Cuidados Paliativos

Autores

  • Islany Barbosa Soares da Silva Enfermeira. Residente em Oncologia. Residência Multiprofissional em Oncologia da Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão (SES-MA). São Luís (MA), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1134-9553
  • José de Ribamar Medeiros Lima Júnior Enfermeiro. Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Professor-Assistente A da UFMA no Curso de Enfermagem do Campus Pinheiro. São Luís (MA), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9172-3682
  • Joelson dos Santos Almeida Enfermeiro. Mestrando em Saúde e Ambiente pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Docente do Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia da SES-MA. São Luís (MA), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6926-7043
  • Dayara Sthéfane Pereira Cutrim Enfermeira. Residente em Oncologia. Residência Multiprofissional em Oncologia da SES-MA. São Luís (MA), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1134-9553
  • Ana Hélia de Lima Sardinha Enfermeira. Doutora em Ciências Pedagógicas. Professora-Titular do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). São Luís (MA), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8720-6348

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2020v66n3.1122

Palavras-chave:

Cuidados Paliativos, Qualidade de Vida, Avaliação de Estado de Karnofsky, Neoplasias

Resumo

Introdução: Os cuidados paliativos para pacientes oncológicos tem por finalidade promover a qualidade de vida por meio do controle de sinais e sintomas, melhoria do bem-estar físico, emocional, social e espiritual. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de pacientes oncológicos em cuidados paliativos. Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal, de abordagem quantitativa, realizada com 21 pacientes internados em uma unidade de cuidados paliativos. Foram coletados dados sobre aspectos sociodemográficos e clínicos, e utilizada a escala do European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality-of-Life Questionnaire Core15 PAL (EORTC QLQ C-15 PAL) para avaliação da qualidade de vida. Resultados: A media de saúde global foi de 60,32, sendo a qualidade de vida considerada satisfatória. Na escala de sintomas, os domínios mais afetados foram dor (52,38), constipação (46,03) e fadiga (42,86). A função emocional (37,30) mostrou-se pior do que a avaliação da função física (59,79). Houve relação significativa do tempo de diagnostico com a qualidade de vida geral e a dispneia do performance status de Karnofsky (KPS) com o funcionamento físico, bem como da presença de metástase com dispneia. Conclusão: A qualidade de vida deve ser avaliada diariamente, visto que os cuidados paliativos consideram, além dos sintomas, o conforto do próprio paciente durante o estado de doença que ameaça a vida e as intervenções efetivas de cuidados, permitindo assim o direcionamento da atuação da equipe multiprofissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-08-13

Como Citar

1.
Barbosa Soares da Silva I, Medeiros Lima Júnior J de R, dos Santos Almeida J, Pereira Cutrim DS, de Lima Sardinha AH. Avaliação da Qualidade de Vida de Pacientes Oncológicos em Cuidados Paliativos. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 13º de agosto de 2020 [citado 28º de novembro de 2022];66(3):e-121122. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/1122

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL