Prevalência de Ansiedade e Depressão em Pacientes Oncológicos e Identificação de Variáveis Predisponentes

Autores

  • Andreia Silva Ferreira Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil
  • Bruna Pereira Bicalho Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil.
  • Luiza Figueiredo Gramiscelli Neves Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil
  • Marcella Torres Menezes Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil.
  • Thais Andressa Silva Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil
  • Thiago Aguiar Faier Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil
  • Richardson Miranda Machado Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Campus CCO. Divinópolis (MG), Brasil

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2016v62n4.159

Palavras-chave:

Neoplasias/complicações, Neoplasias/psicologia, Depressão, Ansiedade

Resumo

Introdução: O diagnóstico de câncer pode ser acompanhado de transtornos psiquiátricos como a ansiedade e a depressão. Objetivo: Avaliar a ocorrência de depressão e ansiedade em paciente oncológicos, além de analisar as associações entre as variáveis clínicas e sociodemográficas e as comorbidades psiquiátricas. Método: Trata-se de um estudo transversal, analítico-descritivo, no qual foram selecionados de maneira aleatória prontuários de pacientes oncológicos em tratamento no hospital referência da Região Centro-Oeste de Minas Gerais. Os dados sociodemográficos e clínicos (gênero, idade, tipo de câncer, tipo de tratamento e tempo de tratamento) foram coletados, e a amostra foi triada para depressão e ansiedade, por meio do Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), já validada para o Brasil. Os dados obtidos foram interpretados por frequência absoluta e relativa. Posteriormente, foram analisadas as associações por meio do Teste Qui-Quadrado. Resultados: A amostra é formada por 233 pacientes, sendo 65% mulheres; 55% dos entrevistados no setor de quimioterapia; e 37% com até três anos de tratamento. Entre os entrevistados, foram encontrados 31,33% (IC 95%: 25,37-37,28) dos pacientes com ansiedade provável ou possível, e 26,18% (IC 95% 20,53-31,82) com depressão provável ou possível. Após correlação dos dados encontrados por meio do Qui-Quadrado, não se identificou diferença nos subgrupos, porém houve uma tendência maior a mulheres apresentarem depressão. Conclusão: A ansiedade e depressão são distúrbios prevalentes em pacientes oncológicos. Neste estudo, mais de um quarto dos pacientes demonstram componentes de transtorno psicológico (26,18% ansiedade e 31,33% depressão), tendo um predomínio de depressão em mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-30

Como Citar

1.
Ferreira AS, Bicalho BP, Neves LFG, Menezes MT, Silva TA, Faier TA, Machado RM. Prevalência de Ansiedade e Depressão em Pacientes Oncológicos e Identificação de Variáveis Predisponentes. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 30º de janeiro de 2019 [citado 8º de agosto de 2022];62(4):321-8. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/159

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL