Conhecimentos e Práticas de Usuárias da Atenção Primária à Saúde sobre o Controle do Câncer do Colo do Útero

Autores

  • Mikaela Santos Mascarenhas Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0474-5512
  • Luan Viana Faria Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2336-9946
  • Lorena Pinholi de Morais Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5544-5846
  • Davi da Costa Laurindo Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0779-3504
  • Mário Círio Nogueira Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9688-4557

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2020v66n3.1030

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Programas de Rastreamento, Neoplasias do Colo do Útero, Teste de Papanicolaou

Resumo

Introdução: O câncer do colo do útero e o quarto tipo de câncer mais frequente na população feminina mundial, tendo sua incidência e mortalidade mais acentuadas nos países de baixa renda que possuem serviços de saúde menos estruturados e alcançam menor cobertura no rastreamento da doença. Objetivo: Analisar a adequação dos conhecimentos e práticas das usuárias de uma unidade básica de saúde (UBS) de Juiz de Fora - MG, sobre o rastreamento do câncer do colo do útero, tendo como referência as recomendações do Instituto Nacional de Câncer Jose Alencar Gomes da Silva (INCA). Método: Estudo transversal descritivo, utilizando questionário estruturado aplicado as usuárias de uma UBS na faixa etária de 25 a 69 anos durante duas semanas. Foram estimadas prevalências de práticas adequadas e suas associações com fatores sociodemográficos. Resultados: Todas as mulheres ja tinham ouvido falar do exame citopatológico e a maioria (77,9%) tinha conhecimento de sua finalidade. Entretanto, nenhuma apresentou conhecimento inteiramente adequado sobre o rastreamento dessas neoplasias, no que concerne a faixa etária e a periodicidade recomendadas. A prevalência de pratica adequada foi de 17,4% (IC95%: 11,8-23,1%) com maior proporção para a faixa etária de maiores de 50 anos. Conclusão: O conhecimento das usuárias da atenção primaria a saúde sobre as recomendações do INCA para o rastreamento do câncer do colo do útero e ainda muito precário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-07-01

Como Citar

1.
Mascarenhas MS, Faria LV, Morais LP de, Laurindo D da C, Nogueira MC. Conhecimentos e Práticas de Usuárias da Atenção Primária à Saúde sobre o Controle do Câncer do Colo do Útero. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 1º de julho de 2020 [citado 28º de novembro de 2022];66(3):e-01030. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/1030

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)