Ciência, Tecnologia e Inovações em Oncologia

Autores

  • Alessandra de Sá Earp Siqueira Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Amanda Nogueira Brum Fontes Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Graziella Santana Feitosa Figueiredo Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Helena Ipê Pinheiro Guimarães Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Julianna Peixoto Treptow Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Max Nóbrega de Menezes Costa Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Priscilla Azevedo Souza Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.
  • Rodrigo Theodoro Rocha Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS). Brasília (DF), Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n2.2809

Palavras-chave:

Oncologia, Genoma Humano, Projeto Genoma Humano, Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, Editorial

Resumo

A medicina genômica e a saúde de precisão deram seu primeiro grande passo no início dos anos 2000. O Projeto Genoma Humano (HGP, do inglês Human Genome Project), iniciado em 1990 e finalizado em 2003, não apenas impactou de forma significativa a compreensão sobre a arquitetura do genoma humano e a correlação deste com diferentes doenças, como também gerou uma revolução tecnológica multidisciplinar. Vinte anos depois, ainda são consideradas inovações em todo mundo, uma vez que sua implementação pelos sistemas de saúde não é simples, requerendo uma gama de ações e iniciativas complexas. Os rápidos avanços nos métodos de diagnóstico molecular, terapias avançadas e medicina de precisão enfatizam a necessidade da tradução desses conhecimentos para otimizar a aplicabilidade nos serviços de saúde da população. O Genomas Brasil apresenta uma prova de conceito que fornecerá dados importantes para a demonstração do valor da saúde de precisão para o SUS, subsidiando a futura tomada de decisão em relação à implementação, à projeção e ao escalonamento para o sistema de saúde público. O programa é fundamental para a transição adequada para um sistema de saúde baseado em saúde de precisão, etapa crítica para a adequação de estratégias, metodologias e protocolos e para o gerenciamento de riscos e potenciais obstáculos a serem enfrentados. Além disso, pretende iniciar uma revolução no SUS por meio do uso de estratégias de fronteira do conhecimento para fornecer o mais preciso e moderno cuidado à saúde à população brasileira, trazendo grandes transformações para a força de trabalho em saúde, para o avanço do conhecimento científico e para a indústria de saúde nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Collins FS, Fink L. The human genome project. Alcohol Health Res World [Internet]. 1995 [cited 2022 May 27];19(3):190-5. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6875757/pdf/arhw-19-3-190.pdf

Bertier G, Carrot-Zhang J, Ragoussis V, et al. Integrating precision cancer medicine into healthcare-policy, practice, and research challenges. Genome Med. 2016;8(1):108. doi: https://doi.org/10.1186/s13073-016-0362-4 DOI: https://doi.org/10.1186/s13073-016-0362-4

Levit LA, Kim ES, McAneny BL, et al. Implementing precision medicine in community-based oncology programs: three models. J Oncol Pract. 2019;15(6):325-9. doi: https://doi.org/10.1200/JOP.18.00661 DOI: https://doi.org/10.1200/JOP.18.00661

Bray F, Ferlay J, Soerjomataram I, et al. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA Cancer J Clin. 2018;68(6):394-424. doi: https://doi.org/10.3322/caac.21492 DOI: https://doi.org/10.3322/caac.21492

Siegel RL, Miller KD, Fuchs HE, et al. Cancer statistics, 2021. CA Cancer J Clin. 2021;71(1):7-33. doi: https://doi.org/10.3322/caac.21654 DOI: https://doi.org/10.3322/caac.21654

Sung H, Ferlay J, Siegel RL, et al. Global cancer statistics 2020: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA Cancer J Clin. 2021;71(3):209-49. doi: https://doi.org/10.3322/caac.21660 DOI: https://doi.org/10.3322/caac.21660

De Maria Marchiano R, Di Sante G, Piro G, et al. Translational research in the era of precision medicine: where we are and where we will go. J Pers Med. 2021;11(3):216. doi: https://doi.org/10.3390/jpm11030216 DOI: https://doi.org/10.3390/jpm11030216

Wetterstrand KA. DNA sequencing costs: data from the NHGRI Genome Sequencing Program (GSP) [Internet]. Bethesda (MD): National Human Genome Research Institute; [last updated 2021 Nov 1; cited 2022 May 27]. Available from: https://www.genome.gov/about-genomics/fact-sheets/DNA-Sequencing-Costs-Data

Trotman J, Armstrong R, Firth H, et al. The NHS England 100,000 Genomes Project: feasibility and utility of centralised genome sequencing for children with cancer. Br J Cancer. 2022. doi: https://doi.org/10.1038/s41416-022-01788-5 DOI: https://doi.org/10.1038/s41416-022-01788-5

Ramirez AH, Sulieman L, Schlueter DJ, et al. The All of Us Research Program: data quality, utility, and diversity. MedRxiv [Preprint]. 2020 June 3. doi: https://doi.org/10.1101/2020.05.29.20116905 DOI: https://doi.org/10.1101/2020.05.29.20116905

Vimal M, Devi WP, McGonigle I. GenomeAsia100K: Singapore builds national science with Asian DNA. East Asian Sci Technol Soc. 2021;15(2):238-59. doi: https://doi.org/10.1080/18752160.2021.1896138 DOI: https://doi.org/10.1080/18752160.2021.1896138

Stark Z, Boughtwood T, Phillips P, et al. Australian genomics: a federated model for integrating genomics into healthcare. Am J Hum Genet. 2019;105(1):7-14. doi: https://doi.org/10.1016/j.ajhg.2019.06.003 DOI: https://doi.org/10.1016/j.ajhg.2019.06.003

Kuchenbaecker KB, Hopper JL, Barnes DR, et al. Risks of breast, ovarian, and contralateral breast cancer for BRCA1 and BRCA2 mutation carriers. JAMA. 2017;317(23):2402-16. doi: https://doi.org/10.1001/jama.2017.7112 DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2017.7112

Schrader KA, Cheng DT, Joseph V, et al. Germline variants in targeted tumor sequencing using matched normal DNA. JAMA Oncol. 2016;2(1):104-11. doi: https://doi.org/10.1001/jamaoncol.2015.5208 DOI: https://doi.org/10.1001/jamaoncol.2015.5208

Sanmamed MF, Chen L. A paradigm shift in cancer immunotherapy: from enhancement to normalization. Cell. 2018;175(2):313-26. doi: https://doi.org/10.1016/j.cell.2018.09.035 DOI: https://doi.org/10.1016/j.cell.2018.09.035

Hindorff LA, Bonham VL, Brody LC, et al. Prioritizing diversity in human genomics research. Nat Rev Genet. 2018;19(3):175-85. doi: https://doi.org/10.1038/nrg.2017.89 DOI: https://doi.org/10.1038/nrg.2017.89

Martin AR, Kanai M, Kamatani Y, et al. Clinical use of current polygenic risk scores may exacerbate health disparities. Nat Genet. 2019;51:584-91. doi: https://doi.org/10.1038/s41588-019-0379-x DOI: https://doi.org/10.1038/s41588-019-0379-x

Bentley AR, Callier S, Rotimi CN. Diversity and inclusion in genomic research: why the uneven progress? J Community Genet. 2017;8(4):255-66. doi: https://doi.org/10.1007/s12687-017-0316-6 DOI: https://doi.org/10.1007/s12687-017-0316-6

Marrero AR, Leite FPN, Carvalho BA, et al. Heterogeneity of the genome ancestry of individuals classified as White in the State of Rio Grande do Sul, Brazil. Am J Hum Biol. 2005;17(4):496-506. doi: https://doi.org/10.1002/ajhb.20404 DOI: https://doi.org/10.1002/ajhb.20404

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.949, de 4 de agosto de 2020. Altera a Portaria de Consolidação nº 5/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para instituir o Programa Nacional de Genômica e Saúde de Precisão - Genomas Brasil e o Conselho Deliberativo do Programa Genomas Brasil [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2020 ago 5 [acesso 2022 maio 27]; Seção 1:87. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2020/prt1949_05_08_2020.html

Publicado

2022-06-21

Como Citar

1.
Siqueira A de SE, Fontes ANB, Figueiredo GSF, Guimarães HIP, Treptow JP, Costa MN de M, Souza PA, Rocha RT. Ciência, Tecnologia e Inovações em Oncologia. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 21º de junho de 2022 [citado 28º de junho de 2022];68(2):e-002809. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/2809

Edição

Seção

EDITORIAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)