Conhecimento de Mulheres acerca do Exame Papanicolaou

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2024v70n1.4393

Palavras-chave:

Teste de Papanicolaou, Saúde da mulher, Revisão, Comportamentos Relacionados com a Saúde, Profissionais de Enfermagem

Resumo

Introdução: O exame preventivo do câncer do colo uterino (PCCU) permite a análise morfológica do tecido do colo do útero para identificação de alterações em células isoladas ou em pequenos grupos. Mediante as dificuldades enfrentadas pelo enfermeiro, a problemática deste trabalho é a baixa procura de mulheres por serviços de saúde para realizar o rastreamento com o exame preventivo. Objetivo: Analisar as produções científicas publicadas no Brasil sobre o conhecimento de mulheres acerca do PCCU. Método: Revisão integrativa da literatura. Para a construção do estudo, buscaram-se publicações científicas indexadas na base de dados LILACS, MEDLINE e BDENF. Os critérios de inclusão definidos para a seleção dos documentos foram artigos originais, nos idiomas português e inglês, disponíveis na íntegra, de acesso gratuito, publicados de 2017 a 2021. Resultados: Foram encontrados 71 artigos e, após serem aplicados os critérios de exclusão, apenas 14 artigos foram incluídos na amostra do estudo categorizados em três eixos temáticos: o primeiro apresenta o conhecimento sobre o PCCU, o segundo, os fatores relacionados à não adesão, e o terceiro, a cobertura para a realização do PCCU na prática da enfermagem. Conclusão: Os baixos níveis de informação e a má comunicação contribuem para a não adesão ao exame. Desse modo, para maximizar a adesão das pacientes, recomenda-se que a equipe de enfermagem modifique a abordagem sobre a realização dos exames preventivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Vaz PG, Bitencourt EL, Martins GS, et al. Perfil epidemiológico do câncer de colo de útero no estado do Tocantins no período de 2013 a 2019. Rev Patol Tocantins. 2020;7(2):114-7. doi: https://doi.org/10.20873/uft.2446-6492.2020v7n2p114 DOI: https://doi.org/10.20873/uft.2446-6492.2020v7n2p114

Abreu MNS, Soares AD, Ramos DAO, et al. Conhecimento e percepção sobre o HPV na população com mais de 18 anos da cidade de Ipatinga, MG, Brasil. Ciênc. saúde colet. 2018;23(3):849-60. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.00102016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.00102016

Santos TLS, Silveira MB, Rezende HHA. A importância do exame citopatológico na prevenção do câncer do colo uterino. EnciBio. 2019;16(29):1947-61. DOI: https://doi.org/10.18677/EnciBio_2019A151

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (BR). Rastreio, diagnóstico e tratamento do câncer de colo de útero: série orientações e recomendações. FEBRASGO. 2017;1(2):1-62.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 6. ed. Rio de Janeiro: INCA; 2020. [acesso 2020 dez 27]. Disponível em: www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/livro-abc-6-edicao-2020.pdf

Instituto Nacional de Câncer [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2022. Câncer do colo do útero; [acesso 2022 dez 22, atualizado 2023 jul 6]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/assuntos/cancer-do-colo-do-utero

Tomasi E, Oliveira TF, Fernandes PAA, et al. Estrutura e processo de trabalho na prevenção do câncer do colo do útero na atenção básica de saúde no Brasil: programa de melhoria do acesso e verlidade. Rev Bras Saude Mater Infant. 2015;15(2):171-80. doi: https://doi.org/10.1590/S1519-38292015000200003 DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-38292015000200003

Souza DAD, Costa MDO. O papel do enfermeiro na prevenção do câncer no colo do útero. Res Soc Dev. 2021;10(13):e137101321040. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21040

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010;8(1 pt1):102-6. DOI: https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

Ursi ES. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-11692006000100017

Galvão TF, Pansani TDS, Harrad D. Principais itens para relatar revisões sistemáticas e meta-análises: a recomendação PRISMA. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(2):335-42. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto - Enferm. 2008;17(4):758-64. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2013 jun 13; Seção I:59.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução n° 510, de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2016 maio 24 [acesso 2023 set 14]; Seção I:44. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html

Queiroz SA, Barreto CCM, Menezes PCM, et al. Percepção de mulheres acerca do exame de prevenção do câncer cérvico-uterino. Temas em saúde. 2017;17(4):179- 95.

Acosta DF, Dantas TDS, Cazeiro CC, et al. O vivenciando o exame papanicolau: entre o (não) querer e fazer. Rev enferm UFPE online. 2017;11(8):3031-8.

Dantas PVJ, Leite KNS, César ESR, et al. Conhecimento das mulheres e fatores da não adesão acerca do exame papanicolau. Rev enferm UFPE online. 2018;12(3):684- 91. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i3a22582p684-691-2018

Miranda AP, Rezende EV, Romero NSA. Percepção e adesão das mulheres quanto ao exame citopatológico. Nursing. 2018;21(246):2435-8.

Melo EMFD, Linhares FMP, Silva TMD, et al. Câncer cervico-uterino: conhecimento, atitude e prática sobre o exame de prevenção. Rev Bras Enferm. 2019;72(supl3):25-31. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0645 DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0645

Santos AP, Vieira Batista AA, Oliveira RS. Preditores da não adesão periódica ao exame papanicolau. J. Health Connect. 2020;10(3):82-97.

Silva LDAD, Freitas AS, Müller BCT, et al. Conhecimento e prática de mulheres atendidas na atenção primária à saúde sobre o exame papanicolaou. Rev Pesqui. 2021;13:1013-9. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v13.9845

Publicado

2024-03-01

Como Citar

1.
Lima DE de OB, Gemaque NS, Negrão CF, Marques TDS. Conhecimento de Mulheres acerca do Exame Papanicolaou. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 1º de março de 2024 [citado 19º de abril de 2024];70(1):e-054393. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/4393

Edição

Seção

REVISÃO DE LITERATURA

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)