Contagem de Reticulócitos e suas Frações Imaturas como Indicador Precoce de Alteração Medular em Trabalhadores de Postos de Combustíveis

Autores

  • Alain Ferreira Vilhena Laboratório Amaral Costa Medicina Diagnóstica. Belém (PA), Brazil. https://orcid.org/0000-0001-6783-1149
  • Jamille Douahy Rebelo Faculdade Integrada Brasil Amazônia (FIBRA). Belém (PA), Brazil. https://orcid.org/0000-0002-9681-9138
  • Rubens Corrêa de Souza Neto Faculdade Integrada Brasil Amazônia (FIBRA). Belém (PA), Brazil. https://orcid.org/0000-0003-2596-858X
  • Ana Maria Almeida Souza Universidade Federal do Pará (UFPA), Instituto de Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina. Belém (PA), Brazil. https://orcid.org/0000-0001-7609-3133
  • Lacy Cardoso de Brito Junior Universidade Federal do Pará (UFPA), Instituto de Ciências Biológicas, Laboratório de Patologia Geral – Imunopatologia e Citologia. Belém (PA), Brazil. https://orcid.org/0000-0001-9102-5817

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2023v69n2.3555

Palavras-chave:

contagem de reticulócitos, benzeno, hidrocarbonetos, exposição ocupacional, anemia aplástica

Resumo

Introdução: A exposição ocupacional prolongada a componentes tóxicos da gasolina, como o benzeno, há muito tempo é reconhecida como um importante fator de alterações hematológicas. Objetivo: Avaliar a contagem de reticulócitos e suas frações imaturas (IRF) em amostras de trabalhadores de postos de combustíveis (“frentistas”) atendidos em um laboratório particular de Belém, Pará, no período de janeiro a dezembro de 2021. Método: Foram analisadas 47 amostras de sangue periférico de trabalhadores de postos de combustíveis do sexo masculino (grupo do estudo), independentemente do tempo de atividade laboral, e que realizam exames laboratoriais periódicos em um laboratório particular de Belém, e 47 amostras de clientes, também do sexo masculino, que realizaram hemograma de rotina no mesmo laboratório e não apresentavam doença hematológica prévia (grupo controle). Resultados: No grupo controle, 46/47 (97,9%) das amostras apresentavam média de contagem de reticulócitos de 62.828/mm3 e de IRF relativas de 3/47 (6,4%), já nos trabalhadores do grupo de estudo a média de contagem de reticulócitos foi de 100.628/mm3 e de IRF de 5/47 (10,8%). Destas, 34/47 (72,3%) amostras apresentavam contagem de reticulócitos e de IRF superiores aos valores de referência. Conclusão: Os resultados sugerem que o aumento da contagem de reticulócitos e suas IRF em frentistas de postos de combustíveis podem ser importantes marcadores de risco precoce de intoxicação medular pelo benzeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fonseca ASA, Costa DF, Dapper V, et al. Classificação clínico-laboratorial para manejo clínico de trabalhadores expostos ao benzeno em postos de revenda de combustíveis. Rev Bras Saúde Ocup. 2017;42(Suppl 1):e5s. doi: https://doi.org/10.1590/2317-6369000127115 DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6369000127115

Moura-Correa MJ, Larentis AL. Exposição ao benzeno no trabalho e seus efeitos à saúde. Rev Bras Saude Ocup. 2017;42(Suppl 1):e14s. doi: https://doi.org/10.1590/2317-6369ED0000117 DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6369ed0000117

Maciel LA, Feitosa SB, Trolly TS, et al. Avaliação dos efeitos genotóxicos da exposição ocupacional em frentistas atuantes em postos de gasolina no município de Santarém, Pará. Rev Bras Med Trab. 2019;17(2):247-253. doi: https://doi.org/10.5327/Z1679443520190382 DOI: https://doi.org/10.5327/Z1679443520190382

Silva VM, Medeiros RC, Modesto CSP, et al. Exposição ao benzeno em trabalhadores de postos de gasolina: uma revisão integrativa da literatura. Res Soc Dev. 2021;10(6):e14610615649. doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15649 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15649

Pádua KM, Silva LRO, Souza MN, et al. Análide da exposição ocupacional aos combustíveis automotivos em frentistas de um posto de revenda de Luz-MG. Braz J Develop. 2021;7(8):81969-88. doi: https://doi.org/10.34117/bjdv7n8-418 DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n8-418

Figueiredo VO, Carvalho LVB, Borges RM, et al. Avaliação da exposição a BTEX em postos de revenda de combustíveis no Rio de Janeiro, Brasil, e os riscos à saúde do trabalhador. Cad Saúde Pública. 2021;37(11):e00351520. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00351520 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00351520

Poça KS, Giardini I, Silva PVB, et al. Gasoline-station workers in Brazil: benzene exposure; genotoxic and immunotoxic effects. Mutat Res Genet Toxicol Environ Mutagen. 2021;865:503322. doi: https://doi.org/10.1016/j.mrgentox.2021.503322 DOI: https://doi.org/10.1016/j.mrgentox.2021.503322

Tolosa Rodríguez MA, Rojas Becerra MR, Vaca Alvarado LJ, et al. Actividades económicas, laborales, ambientales y aditivas con exposición a benceno y el desarrollo de leucemia mieloide aguda. Rev Repert Med Cir. 2022;31(1):42-51. doi: https://doi.org/10.31260/RepertMedCir.01217372.1059 DOI: https://doi.org/10.31260/RepertMedCir.01217372.1059

Santos MVC, Figueiredo VO, Arcuri ASA, et al. Aspectos toxicológicos do benzeno, biomarcadores de exposição e conflitos de interesses. Rev Bras Saude Ocup. 2017;42(supl 1):e13s. doi: https://doi.org/10.1590/2317-6369NOTA00017 DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6369nota00017

Tunsaringkarn T, Soogarun S, Palasuwan A. Occupational exposure to benzene and changes in hematological parameters and urinary trans, trans-muconic acid. Int J Occup Environ Med. 2013;4(1):45-9.

Ruiz MA, Vassallo J, Souza CA. Alterações hematológicas em pacientes expostos cronicamente ao benzeno. Rev Saúde Pública. 1993;27(2):145-51. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89101993000200011 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89101993000200011

Naoum PC, Mourão CA, Ruiz MA. Alterações hematológicas induzidas por poluiçăo industrial em moradores e industriários de Cubatão, SP (Brasil). Rev Saúde Pública. 1984;18(4):271-7. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89101984000400002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89101984000400002

Piva E, Brugnara C, Spolaore F, et al. Clinical utility of reticulocyte parameters. Clin Lab Med. 2015;35(1):133-63. doi: https://doi.org/10.1016/j.cll.2014.10.004 DOI: https://doi.org/10.1016/j.cll.2014.10.004

Er I, Cetin C, Baydemir C. Can immature reticulocyte fraction be an inflammatory biomarker in late-preterm infants diagnosed with congenital pneumonia? Ann Med Res. 2020;27(7):1918-23. doi: https://doi.org/10.5455/annalsmedres.2020.02.161 DOI: https://doi.org/10.5455/annalsmedres.2020.02.161

Das J, Khonglah Y, Tiewsoh I, et al. Utility of reticulocyte indices in the diagnosis of pancytopenia. J Family Med Prim Care. 2022;11(4):1335-40. doi: https://doi.org/10.4103/jfmpc.jfmpc_1121_21 DOI: https://doi.org/10.4103/jfmpc.jfmpc_1121_21

Arneth BM, Menschikowki M. Technology and new fluorescence flow cytometry parameters in hematological analyzers. J Clin Lab Anal. 2015;29(3):175-83. doi: https://doi.org/10.1002/jcla.21747 DOI: https://doi.org/10.1002/jcla.21747

Małecka M, Ciepiela O. A comparison of Sysmex-XN 2000 and Yumizen H2500 automated hematology analyzers. Pract Lab Med. 2020;22:e00186. doi: https://doi.org/10.1016/j.plabm.2020.e00186 DOI: https://doi.org/10.1016/j.plabm.2020.e00186

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2013 jun 13; Seção 1:59.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 2016 maio 24; Seção 1:44.

Swerdlow SH, Campo E, Pileri SA, et al. The 2016 revision of the World Health Organization classification of lymphoid neoplasms. Blood. 2016;127(20):2375-90. doi: https://doi.org/10.1182/blood-2016-01-643569 DOI: https://doi.org/10.1182/blood-2016-01-643569

Geraldino BR, Nunes RFN, Gomes JB, et al. Risks related to the domestic laundering of filling station attendant uniforms: advances and uncertainties. Rev Bras Med Trab. 2021;19(2):240-8. doi: https://doi.org/10.47626/1679-4435-2020-590 DOI: https://doi.org/10.47626/1679-4435-2020-590

Costa DF, Goldbaum M. Contaminação química, precarização, adoecimento e morte no trabalho: benzeno no Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2017;22(8):2681-92. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232017228.31042016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017228.31042016

Publicado

2023-03-21

Como Citar

1.
Vilhena AF, Rebelo JD, Souza Neto RC de, Souza AMA, Brito Junior LC de. Contagem de Reticulócitos e suas Frações Imaturas como Indicador Precoce de Alteração Medular em Trabalhadores de Postos de Combustíveis. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 21º de março de 2023 [citado 3º de dezembro de 2023];69(2):e-063555. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/3555

Edição

Seção

COMUNICAÇÃO BREVE

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)