Conhecimento de Universitários da Área da Saúde sobre o Câncer de Cavidade Oral

Autores

  • Carina Balem Ganzer Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Florianópolis (SC), Brasil.
  • Gabriela Wagner Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Florianópolis (SC), Brasil.
  • Ariana Machado Toriy Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Florianópolis (SC), Brasil.
  • Suellen Cristina Roussenq Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon).Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8202-6244
  • Cristiana Pezzi Franco de Souza Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon). Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6862-6275
  • Grasiani Breggue Pires Universidade Nove de Julho (Uninove). São Paulo (SP), Brasil.
  • Mirella Dias Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-2019-3563

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2019v65n2.97

Palavras-chave:

Neoplasias, Neoplasias de Cabeça e Pescoço, Neoplasias Bucais, Desempenho Acadêmico, Epidemiologia

Resumo

Introdução: O câncer de cabeça e pescoço engloba um grupo heterogêneo de neoplasias malignas originadas na cavidade oral, faringe, laringe, seios paranasais, cavidade nasal, glândulas salivares e tireoide. Objetivo: Este estudo buscou avaliar o conhecimento dos universitários da área da saúde sobre o câncer de cavidade oral. Método: Estudo do tipo epidemiológico, transversal, descritivo, quali-quantitativo com amostra não probabilística de conveniência. Os universitários receberam, via formulário on-line, um questionário com 24 questões aplicadas que abordavam os fatores de risco, sintomatologia, aspectos clínicos, autoexame, prevenção e tratamento. Resultados: Participaram do estudo 110 universitários da área da saúde (58 = primeiro ano e 52 = último ano), distribuídos nos cursos de fisioterapia, odontologia, psicologia, educação física, enfermagem, medicina e nutrição. Em relação à média de acertos dos questionários, os universitários do primeiro ano obtiveram 77,65% (±21,09) de acertos, e os universitários do último ano, 82,37% (±19,88). As questões que obtiveram menores taxas de acertos foram as relacionadas à incidência do câncer de boca no Brasil; 43 (39%) acertaram e 52 (47,3%) dos universitários desconhecem a idade em que maioria dos casos são diagnosticados. Conclusão: Apesar de o câncer de cavidade oral ser crescente, formas de prevenção e diagnóstico precoce reservam maiores chances de cura. A partir deste estudo, pôde-se concluir que os universitários dos cursos da área da saúde, principalmente do último ano, parecem estar aptos a informar à população a respeito do câncer de cavidade oral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-09-19

Como Citar

1.
Ganzer CB, Wagner G, Toriy AM, Roussenq SC, Souza CPF de, Pires GB, Dias M. Conhecimento de Universitários da Área da Saúde sobre o Câncer de Cavidade Oral. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 19º de setembro de 2019 [citado 7º de dezembro de 2022];65(2):e-07097. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/97

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)