Ingestão Dietética, Concentrações Séricas e Teciduais Orais de Carotenoides em Pacientes com Carcinoma Epidermoide da Cavidade Oral e da Orofaringe

Autores

  • Regiane Maio Professor Adjunto do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife (PE), Brasil.
  • José Carlos Berto Mestre pelo Hospital Heliópolis (HOS PHEL) e especialista em cirurgia pela UNES P, Botucatu (SP), Brasil.
  • Camila Renata Corrêa Doutora em Patologia. Departamento de Clínica Médica - Laboratório Experimental da Faculdade de Medicina da UNES P, Botucatu (SP), Brasil.
  • Álvaro Oscar Campana Professor Emérito do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UNES P, Botucatu (SP), Brasil.
  • Sérgio Alberto Rupp Paiva Professor Adjunto do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UNES P, Botucatu (SP), Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2010v56n1.1518

Palavras-chave:

Carotenoides, Tecidos, Mucosa Bucal, Neoplasias Bucais, Ingestão de Alimentos, Estudos Transversais

Resumo

Com o objetivo de caracterizar pacientes com cânceres da cavidade oral e da orofaringe, quanto à ingestão alimentar e às concentrações de carotenoides no soro e tecido oral, foi realizado estudo transversal envolvendo 37 pacientes homens e 11 mulheres, com idade entre 39 e 77 anos, sem tratamento anterior da doença. As biópsias orais foram obtidas durante o ato cirúrgico em todos pacientes. Determinação tecidual de carotenoides foi realizada por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAEclae), utilizando a coluna C18. As ingestões dietéticas habituais diárias de carotenoides foram 3.859, 1.994, 1.345, 508, 102 e 78mg/dia para o total de carotenoides, licopeno, betacaroteno, luteína/zeaxantina, alfacaroteno e betacriptoxantina, respectivamente. As maiores concentrações de carotenoides no soro foram verificadas para o licopeno (0,54mmol/L) e a luteína/zeaxantina (0,31mmol/L). No tecido normal, as concentrações encontradas foram 3,49; 1,15; 0,12 e 0,09mmol/kg para a luteína/zeaxantina, licopeno, betacaroteno e betacriptoxantina, respectivamente; esses valores não foram estatisticamente diferentes em relação aos do tecido neoplásico. O licopeno foi o carotenoide predominante na dieta (53%) e no soro (45%). Nos tecidos, houve predomínio da luteína/zeaxantina (64%-65%). Correlações significativas (r=0,28 a r=0,70), entre os valores de carotenoides na dieta, no soro e tecido oral, foram observadas para a maioria dos carotenoides. O licopeno foi identificado como o principal carotenoide na dieta e no soro, enquanto a luteína/zeaxantina predominou no tecido oral. Não foi observada depleção dos carotenoides investigados no tecido oral neoplásico no grupo estudado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-03-31

Como Citar

1.
Maio R, Berto JC, Corrêa CR, Campana Álvaro O, Paiva SAR. Ingestão Dietética, Concentrações Séricas e Teciduais Orais de Carotenoides em Pacientes com Carcinoma Epidermoide da Cavidade Oral e da Orofaringe. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 31º de março de 2010 [citado 6º de outubro de 2022];56(1):7-15. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/1518

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL