Incorporação Tecnológica no Controle do Câncer

Autores

  • Andréia Cristina de Melo Divisão de Pesquisa Clínica e Desenvolvimento Tecnológico do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • William de Oliveira Avellar Divisão de Pesquisa Clínica e Desenvolvimento Tecnológico do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2022v68n3.3012

Palavras-chave:

Tecnologia Biomédica, Desenvolvimento Tecnológico, Neoplasias, Editorial

Resumo

A incorporação tecnológica possui características de inovação por trazer, em seu escopo, mudanças que podem gerar novos produtos, processos e métodos que, por fim, se convertem em benefícios sanitários, sociais e econômicos. As neoplasias são ameaças significativas à saúde e ao desenvolvimento global, com impacto ainda maior para os países de baixa e média rendas. A tecnologia trouxe a digitalização da medicina, os métodos de imagem e de diagnóstico mais sensíveis, a melhoria nos procedimentos de rastreamento, as novas técnicas cirúrgicas, de radioterapia e os novos tratamentos sistêmicos para o câncer. O grande desafio da atualidade é como incorporar as novas tecnologias, que rotineiramente têm alto custo, à prática diária dos profissionais de saúde envolvidos no cuidado ao câncer, em virtude da complexidade e das iniquidades do sistema de saúde brasileiro, dos recursos financeiros limitados e das inúmeras necessidades no campo da saúde, não só no controle como também no cuidado do câncer. Isso implica superar os obstáculos e os limites tecnológicos no setor público com mais investimentos na base produtiva industrial de inovações em saúde e incentivos à qualificação profissional para atuar em pesquisas básica e clínica no campo da Oncologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Lundvall BA. Innovation as an interactive process: from user-production interaction to the national system of innovation. In: Dosi G, Freeman R, Nelson G, et al., editor. Technical change and economic theory. London; New York: Pinter Publishers; 1988. p. 349-70.

Tidd J, Bessant J, Pavitt K. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman; 2008.

GCO: Global Cancer Observatory [Internet]. Lyon: IARC; c1965-2022. [cited 2022 July 4]. Available from: https://gco.iarc.fr/

Gadelha CAG, Costa LS, Maldonado J. O complexo econômico-industrial da saúde e a dimensão social e econômica do desenvolvimento. Rev Saúde Pública. 2012;46(Suppl 1):21-8. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89102012005000065

Gadelha CAG, Temporão JG. Desenvolvimento, inovação e saúde: a perspectiva teórica e política do complexo econômico-industrial da saúde. Ciênc Saúde Colet. 2018;23(6):1891-1902. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.06482018

Publicado

2022-08-01

Como Citar

1.
Melo AC de, Avellar W de O. Incorporação Tecnológica no Controle do Câncer. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 1º de agosto de 2022 [citado 8º de agosto de 2022];68(3):e-003012. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/3012

Edição

Seção

EDITORIAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)