Mesilato de Imatinibe para Tratamento da Leucemia Mielóide Crônica

Autores

  • Jane de Almeida Dobbin Médica. Chefe do Serviço de Hematologia do Hospital de Câncer I, Instituto Nacional de Câncer. Rio de Janeiro, RJ - Brasil.
  • Maria Inez Pordeus Gadelha Médica. Instituto Nacional de Câncer, Rio de Janeiro, RJ - Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2002v48n3.2219

Palavras-chave:

Leucemia Mielóide Crônica, Mesilato de Imatinibe, STI-571, Toxicidade, Resistência Neoplásica a Drogas, Terapia

Resumo

O tratamento da Leucemia Mielóide Crônica (LMC) inclui transplante de medula óssea, hidroxiuréia e esquemas terapêuticos baseados em Interferon-alfa (IFN-α), sendo hoje o transplante de medula óssea alogenéico considerado o único tratamento curativo desta doença maligna. Como a idade média do doente incialmente acometido de LMC é de 50 anos, este fator, combinado com a ausência de doador histocompatível, limita a indicação de transplante a uma minoria de pacientes. Isto faz com que menos de 20% dos doentes de LMC sejam curados com esta modalidade terapêutica. Mais recentemente, foi desenvolvido e comercializado o Mesilato de Imatinibe (STI-571), um derivado da 2-fenil-amino-pirimidina e inibidor seletivo da BCR-ABL-tirosino-cinase, que induz remissão hematológica e citogenética na LMC, tendo sido aprovado, após estudos de fases I e II, para o uso em doentes de LMC em fase blástica, em fase de transformação ou em fase crônica resistentes ou altamente intolerantes a IFN-α. O presente levantamento bibliográfico é uma revisão relacionada a LMC e a protocolos experimentais dessa chamada alvo-terapia, assim como doses, toxicidade, seleção de pacientes e possíveis mecanismos de resistência ao Mesilato de Imatinibe. Aspectos estes que ainda precisam ser esclarecidos em sua totalidade para que se defina o impacto deste medicamento como agente antileucêmico, isolado ou associado, em termos da sobrevida dos doentes de LMC com ele tratados, comparativamente aos tratamentos estabelecidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-09-30

Como Citar

1.
Dobbin J de A, Gadelha MIP. Mesilato de Imatinibe para Tratamento da Leucemia Mielóide Crônica. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 30º de setembro de 2002 [citado 1º de fevereiro de 2023];48(3):429-38. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/2219

Edição

Seção

REVISÃO DE LITERATURA

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>