Tumor de Wilms Bilateral Sincrônico: Avaliação Cirúrgica e Sobrevida

Autores

  • Pablo Baptista Oliveira Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4677-8873
  • Marilia Fornaciari Grabois Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9368-1030
  • Fernanda Ferreira da Silva Lima Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6658-3101
  • Paulo Antônio Silvestre de Faria Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1817-4888
  • Vanessa do Nascimento Santos Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-38434085
  • Francisca Norma Albuquerque Girão Gutierrez Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8107-0136
  • Sima Esther Ferman Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7076-6779
  • Ricardo Vianna de Carvalho Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3768-8289

DOI:

https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2018v64n3.33

Palavras-chave:

Tumor de Wilms Bilateral, Criança, Adolescente, Nefrectomia, Análise de Sobrevida

Resumo

Introdução: Os tumores renais representam cerca de 7% de todas as neoplasias malignas da infância. O tumor de Wilms bilateral sincrônico corresponde a 5-7% de todos os nefroblastomas. O tratamento consiste em quimioterapia pré-operatória, seguida de cirurgia conservadora, quimioterapia pós-operatória e, quando indicada, radioterapia. Objetivo: Analisar o tipo de cirurgia e a sobrevida global dos pacientes com tumor de Wilms bilateral sincrônico. Método: Este estudo de coorte retrospectivo incluiu 18 pacientes pediátricos do Hospital do Câncer I, do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, no Rio de Janeiro, de janeiro de 2000 a dezembro de 2017. Curvas de sobrevida foram calculadas pelo método Kaplan-Meier. Resultados: A idade mediana ao diagnóstico foi de 19 meses, sendo dez casos do sexo feminino. Em 62,5% dos rins operados, foi possível realizar cirurgia conservadora e, em 41,2% (7/17) dos pacientes, em ambos os rins. A sobrevida global em cinco anos, segundo o tipo cirurgia, foi de 87,5% para cirurgia conservadora e de 62,8% para nefrectomia total (p=0,0001). A sobrevida global em cinco anos para a coorte inteira foi de 70,8%. Conclusão: A cirurgia preservadora de tecido renal em crianças com o tumor de Wilms bilateral sincrônico é viável e pode ser realizada com segurança em centros de referência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-09-28

Como Citar

1.
Baptista Oliveira P, Fornaciari Grabois M, Ferreira da Silva Lima F, Silvestre de Faria PA, do Nascimento Santos V, Albuquerque Girão Gutierrez FN, Ferman SE, Vianna de Carvalho R. Tumor de Wilms Bilateral Sincrônico: Avaliação Cirúrgica e Sobrevida. Rev. Bras. Cancerol. [Internet]. 28º de setembro de 2018 [citado 1º de fevereiro de 2023];64(3):333-9. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/33

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)